SEO Marketing

Marketing para Google...
Aumentar a sua base de clientes não precisa ser um quebra-cabeças. Os sites de busca são o meio usado hoje por empresas e consumidores para buscar informações de produtos, pesquisar preços, contratar serviços. Descubra essa oportunidade

Marketing de Busca - evento info exame

28 de abril de 2008

Um dia inteiro falando-se de SEO , SEM, conversion tracking, landing pages, etc (perdido? veja nosso glossário SEO). Auditório lotado, mostrando a importância de marketing de busca para as empresas.

Foi um bom evento, com os principais executivos do Google, Yahoo, Microsoft, Buscapé, Mercado Livre, entre muitos outros figurões. Esse foi talvez a maior falha do evento - só figurões falando mensagens high-level. Quem foi lá querendo aprender um pouco de SEO, nem de meta tags ouviu falar. Por viverem todos eles de publicidade, esse evento virou sim um grande evento de publicidade na internet. Para muitos, faltaram workshops técnicos com boas práticas de SEO, por exemplo. Para quem queria aprender um pouco mais de links patrocinados, o evento foi útil. Para mim, serviu para tirar uma dúvida recorrente: marketing para mecanismos de pesquisa, mecanismos de buca, sites de busca? Nada disso - gostei do nome simplificado - MARKETING DE BUSCA. Principais palestras:

Alexandre Hohagen, presidente do Google Brasil: Aproveitou sua palestra para divulgar diversos serviços do Google - Trends, Gadgets, iGoogle, youtube, e de como explorar propaganda em todos eles. Enfatizou a importância das agências SEM na estratégia do Google. Fugiu das perguntas que envolviam lançamentos de produtos, como um similar ao Buscapé. Focou muito em apoiar publicidade offline com online.



Guilherme Ribenboim, presidente do Yahoo! Brasil: Bem simpático, comentou que links patrocinados valem para todo o mundo, pequenas, média e grandes. Apesar dos cliques estarem mais caros do que há um ano, ainda estão baratos. Esperem aumentos significativos daqui a 2, 3 anos (pessoalmente acho que em bem menos tempo do que isso). Diferencial Yahoo: Full service - homepage, rich media, banners... Afirmou que, segundo o Nielsen net Rating, único meio minimamente confiável de tráfego no Brasil, o Yahoo possui 30 a 40% de market share, enquanto o Google tem 90%. (Uau, ele podia ter ficado sem falar esse número). Comentou dos principais erros de anunciantes - site ruim ou todo em flash, palavras-chave muito abrangentes. Sobre a compra pelo Yahoo, só comentou que o Yahoo deve continuar como um player independente.

Osvaldo Barbosa, country manager do grupo de serviços online da microsoft: Veio com o conceito de engagement mapping, mostrando que "o último clique" não é o único a contar como conversão. Um usuário recebe a mensagem publicitária em diversas formas, e não é porque o último acesso antes da compra veio do Google significa que o Google deve levar todo o crédito (ele deu outra cutucada no Google, criticando o Adsense - anúncio de vendas de passagens aéreas em páginas de acidente de avião - nada que uma palavra-negativa não resolva, diga-se de passagem). Promoveu então a publicidade online em diversas mídias e possui um mecanismo de controle chamado de engagement mapping - para medir a importância de todos os contatos do usuário com publicidade antes da compra. Também ressaltou a importância das agências de publicidade neste novo modelo de controle de conversão de vendas.

Várias outras apresentações e debates se seguiram, não vou comentá-las todas. Gostei muito da apresentação do Caio do IG e que substituiu a Paulo de Castro do Terra, fez uma apresentação bem descontraída. Por acaso, mostrando o seu portal de busca - muito interessante, diga-se de passagem - exibiu um dos anúncios de um dos clientes da SEO Marketing. Em um dos painéis de cases, 2 comentários curiosos do Rafael Rossi, da construtora Rossi - 1. Usam palavras amplas para queimar o orçamento. 2. Não contratam agências porque têm de pagar a elas. Ora bolas, em vez de queimar dinheiro, usem uma agência, gastem a mesma coisa mas com um retorno maior :-).

Walter Longo, da Y&R, fez para mim a melhor palestra em termos de dinamismo e recursos gráficos. Aliás, a info prometeu que ia disponibilizar a apresentação, mas afinal só disponibilizou os arquivos de áudio.

Quer ouvir tudo o que aconteceu? Acesse http://info.abril.com.br/podcast/extras.shl!

4 comments:

Sant'Iago disse...

Olá, interessante seu comentário sobre a falta de aspectos técnicos. Realmente o foco do evento não é treinamento ou capacitação, mas sim um enfoque comercial e estratégico. O Comitê de SEM do IAB Brasil está conversando com o pessoal do SMX para a vinda do evento no Brasil, onde em dois dias teremos não apenas palestras com abordagem estratégica, mas também outras com conteúdo técnico/prático.
Corrija o final do seu post: imagino que a palestra que vc se refere é do Walter Longo, da Y&R, e não do Pedro Cabral, da AgênciaClick.
Pena que não comentou nada do meu painel.
:-)

Schultze disse...

Obrigado pela correção, Marcelo. Realmente a apresentação a que me referia era a do Walter. Fiz o post na noite do evento, já estava cansado - acabei de corrigir diversos outros erros.

Acabei não comentando sobre as outras palestras por preguiça e também porque, nos painéis de 3 ou mais pessoas, não sabia quem era quem :-). Falta de experiência como "jornalista".

Com relação ao evento da SMX, será sem dúvida bem-vindo. Pelo nível dos palestrantes, dava para imaginar o teor das palestras, mas algumas pessoas com quem conversei no evento comentaram a falta de uma pitada mais focada em SEO, que também tem o seu apelo comercial e estratégico.

Paulo Rodrigo Teixeira disse...

Uma pena não ter te encontrado lá. O próprio Sant'Iago eu encontrei. Vamos ver se no SMX nos conhecemos.

Um grande abraço,

Schultze disse...

Oportunidades não faltarão, Paulo. Obrigado pela visita, e nos vemos em breve!